mm

“Marques Mendes considerou ontem que apenas a gestão eleitoral impediu o anterior governo de vender o Banif, tornando inevitável a resolução no final do ano com custos possíveis de 3 mil milhões de euros.

Segundo o ex-líder do PSD, uma venda do banco ainda antes do verão teria permitido um encaixe de 300 a 500 milhões de euros. Este valor ficaria abaixo dos montantes injetados pelo Estado, o que obrigaria a inscrever a diferença nas contas, agravando o défice.

No seu comentário semanal na SIC, Marques Mendes afirmou que este agravamento do défice minava a narrativa eleitoral de Passos, tendo este optado por “empurrar com a barriga”. “Não foi «Que se lixe as eleições» foi antes «Que se lixe o Banif»”, concluiu Mendes. Que se lixe o contribuinte, concluímos nós.”

Fonte: Geringonça